2012-09-05

METASADOPOEMA




Gosto do desgosto da tua partida, em vida


Promessas que era para sempre, crente

No óvulo da desmesurada paixão, razão

Do ciúme da morte, desnorte

Por não te ter à mão, visão

Caminho cósmico percorrido, dorido

Num dia nefasto, afasto

As ideias arquétipo, repito

O desgosto

Posto na mão.

2 comentários:

Ant P disse...

Boa tarde!
Gostaria de partilhar o endereço de um blogue acabado de criar e inteiramente dedicado à promoção da língua portuguesa. No http://portuguesemforma.blogspot.pt, para além de ferramentas úteis (como dicionários, enciclopédias e glossários), disponibilizo ainda a análise de situações problemáticas ou geradoras de dúvidas nos utentes da nossa língua. Eis a questão de hoje: glicemia ou glicémia?
Um abraço lusófono desde Setúbal.
Prof. António Pereira

Luísa R de Carvalho disse...

Gostei do poema! Forte! Reconheço e conheço bem esta emoção . Bom trabalho!