2012-01-14

FUTURO HORROR


Está um dia tedioso, escuro, as nuvens opressivamente baixas, empurram para uma insuportável soturnidade.

O que seria – parei para pensar – o que seria ?

Uma diferente disposição dos elementos levar-me-ia a sair deste véu?

Será, talvez o cansaço interior dos quotidianos das fomes e doenças, com a morte sempre à espreita. Talvez da pedra social mal assente e inacabada...

Se pudesse ter um ópio que criasse uma estrutura isolante dos neurónios e onde olhasse, visse róseo o nausear do coração, pudesse mesmo até nocautear estes olhos que teimam em ver, aniquilando a capacidade de provocar esta impressão.

Olhos deslustrados de nódoas negras nos rostos, caos global num electrizante galope, são as forças motoras desta vivacidade barulhenta e desordenada no desespero dos dias sem luz. Existem então os anjos maus? Os purgatórios para cá dos céus?

Uma falácia comportalmente civilizada diluída no sonho desilusão de um prosac tomado no amanhecer do progresso, pesadelo de uma queda no precipício infindável sem despertar.

Um futuro de horrores...

1 comentário:

Paula disse...

Mando-te daqui do meio do atlântico um enorme arco-íris para acalmar um pouco a tua tristeza. Miss your pretty face Kim ;)