2011-09-22

PANO ENTRE COXAS


Começámos a dormir juntos
para temperar as vontades
que o pano dela não pode
sair de entre as coxas
sonhos do futuro
 erro muito pequeno.
Sentei na rocha azul
era como um céu invertido
a angústia subia das coxas
 a morrer na zona do umbigo
automaticamente
ilibada
esperei.
FOI DOLOROSA A ESPERA
o calor apertava
o corpo nu aberto
para nos recebermos
a esteira era fogueira
debaixo de mim
SEM FIM.

Sem comentários: