2011-07-15

DESLIZAR TREPIDANTE

Vento!?

Invento um catavento

Sou Adão solidão nulo cabrão

A espinha que desalinha quase definha

O que quero do Bolero desespero.



Celibato um pacto… vem desacato

Relacional aparato

Cama cacto.



Ser chato e concordante

Com o bordo do nosso simulacro

Conjurando um faz de conta

Abstracto… absorto… meio torto.



Escada enrolante… pés de vidro

Fumegas um odor enleante

Certa fase errante trouxe

Áspera língua arranhando

O concavo e o convexo

Do deslizar

Trepidante.



2 comentários:

Fatima disse...

Abençoados os que possuem amigos, os que os têm sem pedir.
Porque amigo não se pede, não se compra, nem se vende.
Amigo a gente sente!

Benditos os que sofrem por amigos, os que falam com o olhar.
Porque amigo não se cala, não questiona, nem se rende.
Amigo a gente entende!

Benditos os que guardam amigos, os que entregam o ombro pra chorar.
Porque amigo sofre e chora.
Amigo não tem hora pra consolar!

Benditos sejam os amigos que acreditam na tua verdade ou te apontam a realidade.
Porque amigo é a direção.
Amigo é a base quando falta o chão!

Benditos sejam todos os amigos de raízes, verdadeiros.
Porque amigos são herdeiros da real sagacidade.
Ter amigos é a melhor cumplicidade!

Feliz dia do amigo!

Bjs.

Eu sei que vou te amar disse...

Deslizar neste vento onde as palavras voam poesia!
Um beijo doce