2011-06-23

BURACO DO OZONO


sou cada um de vocês
cada qual mesmo
todos esses outros perdidos
suas alucinações jorram felicidades
a morte, enfim, salvou-os
da mais fatal ilusão e vaidade do mundo
o prazer
a volúpia
são incontáveis as vítimas
eu mesmo
desta mentira, que tira, spots publicitários
cartolas, em areias movediças
oportunismos das hierarquias
cumes das demagogias
talvezes, sins e nãos
buraco do ozono
sempre
cadaqual
cadavez.

2011-06-03

O Verme "Gasosa"



Rasgar-te-ei os glúteos patéticos à chibatada, a fazer correr sangue!


Que corra à farta como as diarreias das crianças.


Farei um voo começo do alto do Imbondeiro


chocalhando o pais encornado e burlado


pela putrefacta usura instrumentalizadora


uma chulice profissional nos sem instrução.


Desprezíveis actores do logro quotidiano


o verme “gasosa”, desastrado elefante político


que se nos insinuou


lavra já nas poeiras dos recônditos e paupérrimos bairros


a intermitente luz eléctrica, a água veneno a matar lentamente


um desespero desesperantemente desesperante.